Hoje é dia de falar sobre Medicina!

O processo de ensino-aprendizagem do curso de Medicina da Universidade Santo Amaro – Unisa propõe cenários para o estudante desenvolver plenamente suas habilidades desde o primeiro semestre da graduação. Dessa forma, o resultado são as diversas parcerias da Unisa com hospitais da região da grande São Paulo, o Centro de Simulação da Unisa, além da vivência com a realidade do Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia também:

Aumento da procura por cursos da área da saúde EAD

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre três dos vários ambientes onde os alunos da graduação MedUnisa atuam para desenvolverem suas capacidades para assim, estarem o mais preparados possível para a carreira profissional.

Centro de Simulação em Saúde

O Centro de Simulação em Saúde (CSS) é um conjunto de laboratórios localizado no Prédio C2 do Campus Interlagos. Em 2020, ele foi ampliado e ganhou novos espaços e agora conta com:

  • Sala da Alta Fidelidade,
  • Consultórios Espelhados,
  • Sala de Técnica Cirúrgica,
  • Sala de Cirurgia Experimental,
  • Salas Multiuso,
  • A possibilidade da atuação simultânea de diversas equipes.

Também foram adquiridas novas estações de habilidades para treinamentos, além da previsão da instalação de um sistema de transmissão audiovisual para o Centro.

“O local é caracterizado como um ambiente de urgência e emergência com o intuito de permitir aos alunos uma completa imersão em cenários desenvolvidos para um ambiente seguro de aprendizado. Em síntese, tudo que confere a eles diversas habilidades em Crisis Resource Management, comunicação em alça fechada e trabalho em equipe”, explica o professor Dr. José Roberto Generoso Júnior.

Onde atuam os alunos de Medicina da Unisa
Alunos em aula no Centro de Simulação em Saúde | Imagem tirada antes da pandemia

Hospitais

Hospital Geral do Grajaú

O Hospital Geral do Grajaú atende os distritos de Grajaú, Cidade Dutra, Socorro, Marsilac e Parelheiros. Locais com densa população: mais de um milhão de habitantes em uma área de cerca de 500 quilômetros quadrados, ou seja, o equivalente a um terço do território da capital paulista  

Criado há 33 anos, o Hospital Geral é um dos grandes aliados da Unisa para a vivência prática dos estudantes de Medicina. De acordo com o Superintendente Médico do Hospital, Dr. Eduardo Zamataro, a parceria entre as Instituições “é de grande relevância e benéfica para todos: a Unisa, o Hospital e para a população da região”.

Atualmente, o local não só é considerado referência no atendimento de urgência, emergência e média complexidade, como também engloba o serviço assistencial e o desenvolvimento de ensino e pesquisa, isto é, um campo rico em aprendizado para os graduandos em Medicina da Unisa.

Durante o período de atuação no Hospital, o aluno exerce, na prática, os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula e laboratórios da Unisa. Contudo, a aprendizagem vai muito além e apresenta um teor benéfico para os futuros médicos, pois “mais do que a aplicação da teoria à prática, os estudantes aprendem pelo exemplo dos demais profissionais, partes fundamentais do ensino da Medicina: a maneira como abordar pacientes e familiares, bem como como informar sobre diagnósticos, terapêuticas e possíveis prognósticos. Ademais, soma-se o aprendizado para lidar com diferentes reações de pacientes e familiares diante de doenças”, declara o Dr. Zamataro.

Onde atuam os alunos de Medicina da Unisa
Hospital Geral do Grajaú
Hospital Geral de Pedreira

Localizado em São Paulo, o Hospital Geral de Pedreira é um dos grandes aliados da IES para proporcionar a vivência prática dos alunos da MedUnisa. De acordo com o diretor técnico do Hospital, Dr. Fábio Peterlini, a parceria sempre foi muito desejada. “Há cerca de dois anos, começamos a receber alunos do 4º ano médico (7º e 8º semestres) nos estágios de Pediatria e Ortopedia. Este ano, iniciamos com os alunos do internato, também na Ortopedia”.

Como a Unisa, o HG Pedreira também faz história. Com 21 anos, o hospital público é referência em Traumatologia, Cirurgia Geral e Ortopedia. Foi um dos primeiros hospitais a atuar no modelo de OSS (Organização Social de Serviço) e a contar com prontuário eletrônico e Sistema PACS (diagnóstico de imagem por meio de um computador).

A vivência prática dos alunos dentro do local depende da fase de aprendizado em que eles estão. “Enquanto parte do corpo discente observa e discute exemplos e casos clínicos, acompanhando alterações nos pacientes internados com afecções; outra fatia, já no internato, participa de atividades mais operacionais, como procedimentos cirúrgicos e na evolução diária do quadro de pacientes”, conta Peterlini.

Deixe uma resposta